27 de out de 2009

.
Se Deus fosse brasileiro

Houve tempo em que era comum ouvir dizer-se que “Deus era brasileiro”, tal a generosidade com que proveu a natureza desta terra que, na sua “certidão de nascimento” tem até escrito “em se plantando tudo dá”!
E a verdade é que por aqui tudo se dá, causando agora inveja e admiração por esse mundo fora. Tudo.


Tudo por aqui é grande: o espaço, as florestas (que sobram) as áreas de plantio, as pastagens, as minas, o crescimento das cidades, o número de Ferraris, Porshes e outros humildes meios de transporte, o petróleo e o gás (ainda mal explorados), o número de homicídios e assaltos – aqui mata-se mais do que no Afeganistão e talvez mesmo no Paquistão – a corrupção e a ladroagem, que tendo espelho em todos os países, aqui atinge níveis a priori inconcebíveis, as centenas de quilômetros de ferrovias abandonadas, o número de buracos nas estradas – neste particular devemos ter a medalha de ouro mundial – e, para não desequilibrar o panorama, um presidente que "bota a boca no trombone" e se permite dizer as maiores barbaridades, sai dando risada e ainda é aplaudido!
Uma das últimas, para justificar a bandalha que pratica e de quem o rodeia, os acordos vergonhosos que faz com outros partidos e as dezenas de milhares de cargos de confiança que criou durante o seu mandato, disse que “se Jesus Cristo nascesse no Brasil e Judas tivesse a votação num partido qualquer, Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão”!
Todos os dias o big líder se permite ofender quem quer que seja. Os cidadãos e o bom senso. Todos os dias diz barbaridades incríveis. Governar, não governa, ou porque para isso é absolutamente inepto, ou porque está fora do seu gabinete mais de metade do ano, em viagens absurdas e em permanente campanha para ver se elege a sua protegida e retorna em 2014 para prosseguir na farra.
Mas esqueceu-se sexa, se por acaso sabia, que Jesus Cristo, como comentou Dom Dimas Barbosa, secretário geral da CNBB, a propósito do insulto, não aos cristão, mas ao próprio Cristo, que “Judas foi um discípulos de Cristo. Mas quero lembrar que Cristo não fez aliança com fariseus nem saduceus”!
E há tanto para “lembrar” a quem nada sabe e se permite falar de tudo. Pena o tal presidente não “se lembrar”, em primeiro lugar, que Cristo, à entrada do templo, fez uma vergasta e dali correu com os vendilhões! A casa de Deus não era covil de ladrões! Imaginem só se Cristo aqui viesse e entrasse nos gabinetes do governo! E no congresso em Brasília! E nos governos e assembléias estaduais e municipais! E...
Como se comportaria Jesus face ao desplante de políticos como os Sarneys, Malufs, Jaders, Mercadantes, Renans, e tantos, tantos outros, que envergonham o país e seu povo com quem o dito presidente faz indecorosas “coalizões” para não perder, ele e os outros, a mamata? Jesus chamaria Judas ou os entregaria logo ao demônio para arderem no fogo dos infernos? Eles e seus compadrios e coligados!
Esqueceu-se que Cristo disse ainda ”bem aventurados os humildes...”, os não arrogantes nem vaidosos nem ambiciosos, e mais, “quando dás esmolas não faças tocar a trombeta como fazem os hipócritas para serem louvados pelos homens, mas quando dês, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”!
Todos os dias se apregoa o famigerado Bolsa Família, mas é público e notório que isso tem incentivado a ociosidade! Mas dá votos. A trombeta não se cala. Nem pára de dizer monstruosidades.
Assim teremos garantida uma medalha nas Olimpíadas: discurso ignorante!

14 de out de 2009

.
No reino do “Faz-de-conta”
.
Reina a euforia! Tudo vai de vento em popa! Vai mesmo?
Jogos Desportivos Militares Mundiais em 2011, Copa do Mundo em 2014, Olimpíadas em 2016! OLIMPÍDAS ! Que maravilha.
Se o IDH, o tal Índice de Desenvolvimento Humano da ONU se medisse em promessas desportivas, o Brasil estaria, de longe, em primeiro lugar no mundo, mas...
- com os 115 milhões de Reais que o (des)governo deu ao MST para ir destruindo fazendas, prédios públicos e laboratórios de investigação agro-pecuária...
- com o sarneizão a beijar a mão de seus ex inimigos, os próprios do MST, de quem é agora representante no senado (!!!), atitude nojenta, mas que tem por finalidade: primeiro, “não perturbem as minhas propriedades e minha pobre família”, e tentar conquistar o apoio dos meliantes em novas eleições que estão, não tarda, à porta...
- com a euforia do pré-sal! Anda todo o mundo louco com o “lucro fabuloso” que o pré-sal... será que vai dar? Discute-se como se vai repartir o bolo desse imaginário lucro, que, a vir, demorará pelo menos meia dúzia de anos, apontam-se hipóteses sempre dirigidas não ao bem comum mas aos interesses privados, e o Brasil que tinha acabado de mostrar ao mundo ser o carro chefe nas energias alternativas, agora brada aos céus, faz festa, já gasta por conta do petróleo que o pré-sal vai dar... se der!
- e não só! Estão em estudo, e praticamente aprovadas, novas usinas termelétricas, movidas, imaginem, a carvão! Uma beleza. Coisa que os países todos ou abandonaram ou estão em vias de abandonar, o Brasil vai começar! Grande visão! E com esta “vantagem” adicional: o Brasil não tem carvão de pedra! Vai ter que o importar para poluir, ainda mais, os ares;
- no começo do século XVII, 90% da população da atual Argentina sabia, pelo menos, assinar o seu nome, e a maioria das mulheres sabia escrever (não se sabe bem se os indígenas também, mas muitos sim...) enquanto, 400 anos depois, por esta terra, o ensino continua cada vez mais na mesma, com um altíssimo índice de abandono escolar mesmo na 1ª. série, e alta taxa de analfabetismo;
- para acolher os Jogos Olímpicos fala-se em investimentos da ordem de 80 bilhões de reais... se ninguém roubar! Tudo tem que ser feito, como na China, e assim mesmo o nosso orçamento é quase o dobro que foi lá na Ásia! Mas não se ouve falar sequer em milhões para dar a verdadeira e necessária instrução e cultura ao povo!
- o big líder, primeiro disse que a seguir a presidente do país queria ser presidente da Petrobrás! (Quem não quereria ???) Agora já está a apostar em 2014 para voltar para onde está, à procura da grande “glória” de ser presidente do país que acolhe as Olimpíadas! Não há dúvida que a vaidade é maior desgraça do planeta! Dizia Rousseau: “Se há alguém a quem a vaidade faça feliz, com certeza esse alguém é um tolo”!
A perpetuação no poder é uma tentação terrível, pior que doença incurável. Mais ainda quando se admira e veneram líderes com essa contagiosa doença, como Fidel, Chavez, Ahmadinejad, os sobas do Sudão, Congo, Angola, etc., etc.
O imoral da política é a paixão de dominar. Piora quando se espera que o Estado, o governo, seja o defensor da tradição e da propriedade, e se assiste ao destroçar das tradições, ao desprezo pelas culturas indígenas, e se fomenta, com dinheiros públicos o depredar de propriedades por grupos de vândalos e permite a corrupção desbragada no seio mais alto da (des)governança.
Pelo modo como isto vai... de que vão servir os Jogos Olímpicos? Para melhorar os transportes públicos, construir estádios desportivos que depois ficam vazios porque nas escolas não há incentivos ao desporto, como aconteceu com as obras do Pan?
Todos torcemos muito para que o Rio saia arrumado e enaltecido pela organização dessas Olimpíadas. Mas no meio da tanta euforia, todos tememos muito também pelo mal que a corrupção, mais do que endêmica, possa fazer.
O mundo embasbaca-se perante o presidente operário que, como um papagaio, repete o que as eminências pardas mandam dizer e fazer, mas quem aqui vive é que sente como o governo, perdão (des)governo se coloca acima dos interesses da nação. Esta vem, longe, em segundo lugar.
Agora o “cara” até afirmou que a compra de novos aviões de caça para a Força Aérea Brasileira – que hoje não deve ter mais que um ou dois aptos a voar! – é fundamental para proteger a área do pré-sal, não vá dar-se a hipótese de outro país querer aqui vir explorar o que é... internacional! Piada, pobre, de circo... pobre!
A política econômica seguiu, sem qualquer alteração a que foi definida no anterior governo de Fernando Henrique, favorecendo o exponencial enriquecimento dos bancos, tão violentamente criticada pelo PT, oposição na altura, e de resto, tal como escrevi no início do comando por estes novos donos do poder, nada se vai fazer até às vésperas de novas eleições,
É o que estamos a ver. Fala-se muito em PAC, mas até agora essas tão apregoadas obras do PAC pouco mais passam do que o discurso da candidata do big líder.
Muita água ainda vai correr, mas as esperanças de vermos o nível da população aumentar, e isso seria o mais importante dos objetivos de qualquer governo sério, são muito remotas.
De acordo com um ex ministro da educação deste (des)governo, demitido porque reclamou da exigüidade de verbas que lhe atribuíram, só daqui a 56 anos o Brasil conseguirá erradicar o analfabetismo!
Educar não parece prioridade dos (des)governantes. Comprar aviões, sim. Não miliotares, mas de passeio. Além do super Airbus, em que lula vive, no mínimo uma terça parte do ano, visitando todos os países do mundo, com interesse ou sem ele, acaba de comprar mais três, felizmente da Embraer... porque as eleições estão aí a chegar e é necessário deslocar a turma para todos os palanques do país!
IDH? Para que? Poder e vaidade é que são bons!


11 out. 09

5 de out de 2009

.
Mais uma opinião de um dos melhores escritores brasileiros

De  bem  a  pior
.
por JOÃO  UBALDO  RIBEIRO
.
Diante do portão ainda fechado, olho por entre as grades do edifício e avalio a rua. Poucos passantes, alguns porteiros varrendo a calçada, tudo indica que o temido encontro será evitado novamente. Tem dado um pouco de trabalho, mas venho conseguindo driblá-la com eficácia e faz tempos que não a vejo. Bem verdade que, paradoxalmente, tenho uma certa saudade dela, mas sou obrigado a reconhecer que fico aliviado por não vê-la, é melhor assim. Inspeção concluída, tomo coragem e saio andando em direção a banca de jornal, aonde chego sem problemas e da qual volto devagar, espiando distraidamente as manchetes e sem suspeitar do que me espera, depois de dobrar a esquina de minha rua.
— Ah-ha! — soa uma voz feminina enquanto recebo um puxão na manga da camisa e logo concluo que desta vez não consegui escapar; é ela novamente.
— Andava se escondendo, hein?
— Me escondendo? Não, claro que não. Por que eu haveria de me esconder?
— Porque não está cumprindo sua obrigação, é por isso! Eu confesso que não esperava isso de você, mas fato e fato, e o fato é que você não está cumprindo sua obrigação.
— Não entendi, não sei de obrigação nenhuma que eu não esteja cumprindo.
— Sua obrigação de descer o cacete nessa corja, é essa a obrigação que você não está cumprindo.
— Bem, eu não acho que tenho es¬sa obrigação. Alem disso, o sujeito cansa de dar murro em ponta de faca sozinho. A impressão que eu tenho, pela leitura de jornais, é que esta todo mundo satisfeito, com uma exceçãozinha aqui ou ali.
— Está todo mundo o que? Satisfeito? Satisfeito com que, com o governo? Eu pergunto a você: qual é a grande realização desse governo, além de uma Legião Brasileira de Assistência turbinada, qual é? 0 que é que mudou?
— Bem, assim de cabeça é difícil lembrar.
— Então eu ajudo, vamos lá. Mu¬dou a educação? 0 ensino público está uma beleza, o povo esta cada vez mais educado, os professores são bem pagos, fizeram uma gran¬de reforma, não foi?
— Eu sei que não é bem assim, mas...
— Mas nada, não tem "mas" nenhum nessa conversa, é tudo um hor¬ror mesmo e, quando acham um colégio melhorzinho, da reportagem no "Fantástico", é caso de comemoração. E saúde, a saúde vai bem, não vai? Todo mundo atendido, não tem mais esse negócio de dormir na fila ou esperar meses por uma consulta, tem?
— Você esta sendo irônica, eu...
— Segurança, tem segurança? Onde é que você está seguro? Dentro de casa, não está seguro. Na rua, não es¬tá seguro. No ônibus, não está segu¬ro. No restaurante, não está seguro. No hospital, não está seguro. Nem numa delegacia ou num quartel, porque vão lá e jogam uma bomba! Onde é que não assaltam e, se quiserem, torturam e matam, me conte, onde é?
A policia já aconselha a não sair com documentos, fazer o que o assaltante manda e assim por diante. Agora eu estou esperando que também aconselhem a gente a manter em casa um lanchinho para agradar os assaltantes. Melhor ainda, um brunch, que é mais chique e mais moderno. Uns drinquezinhos, uns brioches, tudo para os assaltantes não se aborrecerem. No futuro vão aparecer manuais e matérias de jornal com cardápios especiais para esse caso.
— Taí, você falou em futuro e me lembrou. Tem o pré-sal também.
— Tem, tem. Ninguém sabe direito se vai dar para extrair esse petró1eo e, se der, como é que vai estar o petróleo daqui a dez ou quinze anos. 0 futuro não era o etanol, não eram as fontes de energia renováveis? Agora não é mais, é o petróleo mesmo, não é? Tão certo quanto as eleições que vem aí.
— Você não está sendo um pouquinho pessimista, não? As própria eleições são uma esperança.
— São, são. Esperança de que entrem ladrões novos, para substituir os velhos, isso é importante, é sempre interessante observar as gerações mais jovens se firmando. E os métodos de roubar com certeza vão mudar também, nada de saudosismo, vamos aos novos paradigmas da corrupção, o Brasil não pode ficar para trás.
— Olhe aí, você trouxe outra coisa à baila, o Brasil hoje é outro, no panorama internacional.
— É, eu sei, é o pais dos barbudinhos exóticos, os gringos gostam muito, se divertem bastante. E ainda nos empurram os bagulhos deles.
— Que é isso, também não é assim.
— Eu sei, é pior. Agora, com a embaixada brasileira em Honduras transformada em quartel-general da cucarachada, com essa cafajestada diplomática toda, está uma beleza, somos alvo do respeito uni¬versal, não é, não? E os gringos também acreditam nesse papo de que "não sei de nada", "não ouvi nada" etc. e tal.
— É, já vi que você hoje está mesmo com toda a corda.
— Ao contrário de certos escritores que eu conheço. E já que, ao que parece, você também está achando tudo ótimo, pelo menos, ponha na sua coluna um título que seja fiel à situação do Brasil de hoje. Eu lhe ofereço um de graça. Que tal "de bem a pior"?


JOAO UBALDO RIBEIRO é escritor.